quinta-feira, 06 agosto 2020
Fale Conosco | (24)3343-5229

Cultura

Volta Redonda atualiza dados culturais e planeja implantação da Lei Aldir Blanc

Cadastro está aberto para mapear segmentos artísticos na cidade

18/06/2020 17:14:48

A Secretaria Municipal de Cultura e o Conselho Municipal de Política Cultural de Volta Redonda está atualizando os dados culturais na cidade. Estão sendo identificados agentes culturais, espaços e coletivos. Para isso, disponibilizou um cadastro mais completo, elaborado juntamente com o conselho. O objetivo é orientar a implementação e gestão política cultural de Volta Redonda, já considerando os critérios determinados pela Lei de Emergência Cultural Aldir Blanc.

Aguardando sanção presidencial, a lei possibilitará uma renda mensal, durante três meses, de R$ 600 para trabalhadores do setor cultural, além de prever um subsídio de até R$ 10 mil mensais para espaços artísticos e culturais que tiveram suas atividades interrompidas.

“Este projeto é de várias lideranças e, principalmente, da ampla contribuição, belíssima e inovadora, da sociedade brasileira. A construção da lei teve uma contribuição imensa dos estados, foram pelo menos 18 reuniões nacionais”, explicou a secretária municipal de Cultura, Aline Ribeiro, lembrando que Volta Redonda promoveu, no último dia 9, a Webconferência de Cultura, que mobilizou agentes de cultura, artistas, produtores, pontos de cultura, redes, coletivos e movimentos culturais para tratar sobre a lei emergencial.

O cadastro para o mapeamento pode ser feito pela internet, através do link bit.ly/culturavr, e também por telefone ou presencialmente, com agendamento pelo número 3339-4204. “Faremos um trabalho de busca ativa, juntamente com os conselheiros. Nossa meta é que nenhum agente cultural, espaço ou coletivo de Volta Redonda fique fora do cadastro”, acrescentou Aline.

O presidente do conselho, Carlos Eduardo Giglio, explicou que o órgão tem acompanhado todo o processo de aprovação de lei, extremamente necessária para suprir as necessidades dos agentes, espaços e coletivos culturais. “O cadastro é o início para que tenhamos transparência e controle de aplicação da lei. Começaremos agora a elaboração do plano de implementação para que quem mais precisa possa receber o recurso. Esse processo inicia um novo tempo para cultura onde teremos mais acesso aos artistas, inclusive temos a preocupação de chegar as periferias”, disse. (Foto: Divulgação)

Comentários via Facebook

(O Foco Regional não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

+ Lidas

Em foco

Notícias primeiro na sua mão

Primeiro cadastre seu celular ou email para receber as ultimas notícias.

Curta nossa fan page, receba todas as atualizações - Foco Regional

Tempo Real

15:09 Cidades