quarta-feira, 17 julho 2019
Fale Conosco | (24)3343-5229

Estado

Operação ataca milícia em expansão para o Sul Fluminense

02/08/2018 12:55:04

Milícia chefiada por Ecko está se expandido para Costa Verde e Piraí, diz Ministério Público estadual

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e a Polícia Civil realizam nesta quinta-feira a operação Freedom, com objetivo de cumprir 42 mandados de prisão e 90 de busca e apreensão contra integrantes de uma milícia que atua em Itaguaí e que está em expansão para a Costa Verde e Piraí.

A milícia, foco da investigação, opera com bases em condomínios do programa “Minha Casa, Minha Vida” no bairro Chaperó, em Itaguaí, onde controla a vida dos moradores e dita as regras na região, mantendo laços com o grupo de milicianos que domina a região de Santa Cruz e Campo Grande, na Zona Oeste do Rio, sendo a organização apontada como responsável por vários homicídios na região de Itaguaí.

De acordo com a denúncia, além de extorsões, os criminosos também exploram, com exclusividade, nos limites territoriais em que atuam, variada gama de outras lucrativas atividades, a exemplo de jogos de azar, do transporte público irregular, do monopólio forçado sobre a venda de água mineral em galões e de cigarros, entre outras atividades ilegais, sempre se valendo de violência armada, de atos de terror e da ideia, real, de cooptação de órgãos e agentes policiais.

Segundo o MPRJ, o policial militar Antonio Carlos de Lima, do 27º BPM, e o ex-policial militar Carlos Eduardo Benevides, expulso da corporação, destacam-se  no comando do grupo, mantendo relação de parceria com a milícia chefiada por Welligton da Silva Braga, o “Ecko”, também denunciado. Integra também a organização criminosa o subtenente do exército Marco Antônio Cosme Sacramento. Dentre os 42 indiciados, 20 foram presos - 11 ao longo das investigações e nove nesta manhã.

Eles foram denunciados por organização criminosa, com emprego de arma de fogo, com base nos artigos 2º, §§ 2º; e 4º, II e IV; da Lei nº 12.850/2013 (Lei do Crime Organizado), e as penas previstas variam de 5 a 13 anos de prisão. (Foto: Divulgação / Polícia Civil)

Comentários via Facebook

(O Foco Regional não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

+ Lidas

Em foco

Notícias primeiro na sua mão

Primeiro cadastre seu celular ou email para receber as ultimas notícias.

Curta nossa fan page, receba todas as atualizações - Foco Regional

Tempo Real

11:29 Estado