segunda-feira, 23 setembro 2019
Fale Conosco | (24)3343-5229

Polícia

Open Doors: Hacker preso no Paraná guardava R$ 600 mil

Polícia confirma prisão de cinco suspeitos no Sul Fluminense

12/09/2019 11:47:10

Apontado pela Polícia Civil de Barra Mansa como um dos hackers suspeitos do desvio de dinheiro de conta de terceiros, Lucas Iagla Turquerto, o "Bart", preso na manhã desta quinta-feira, em Curitiba, tinha cerca de R$ 600 mil no imóvel que ocupava, no Centro da capital paranaense. O mandado de prisão contra ele foi cumprido pelo delegado de Barra Mansa, Ronaldo Aparecido, que viajou acompanhado de investigadores da delegacia de Barra Mansa e teve o apoio do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) do Paraná para cumprir a ordem judicial em uma nova fase da operação “Open Doors” (Portas Abertas).

Open Doors: Hacker preso no Paraná guardava R$ 600 mil

Lucas, preso em Curitiba: Segundo a polícia de Barra Mansa, ele guardava cerca de R$ 600 mil

Foram expedidos 21 mandados de prisão e 22 de busca e apreensão. Na região Sul Fluminense, até a publicação desta nota, os delegados Vinícius Coutinho, adjunto de Barra Mansa, e Michel Floroschk, de Resende, haviam cumprido outros cinco mandados, contra três homens e duas mulheres. As prisões ocorreram no distrito da Califórnia, em Barra do Piraí, e nos bairros Jardim Belvedere e Vila Mury, em Volta Redonda. Foram apreendidos documentos, extratos bancários, agenda, computador e celular. Os presos na região estão sendo conduzidos para a delegacia de Barra Mansa.

As denúncias desta fase estão em segredo de Justiça. Segundo o delegado Ronaldo Aparecido, responsável pelas investigações, a quadrilha teria desviado R$ 40 milhões. Ele lembrou que, embora a operação tenha sido deflagrada em agosto de 2017, as investigações tiveram início em 2012, quando a polícia apurava um triplo homicídio ocorrido em Barra Mansa.

As investigações mostraram que havia uma quadrilha desviando dinheiro de contas bancárias, que era transferido para contas de “laranjas” e sacado por membros da quadrilha. Além disso, a quadrilha tinha pessoas encarregadas de “lavar” o dinheiro, colocando em seu nome os bens adquiridos pelos criminosos. (Fotos: Polícia Civil)

Comentários via Facebook

(O Foco Regional não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

+ Lidas

Em foco

Notícias primeiro na sua mão

Primeiro cadastre seu celular ou email para receber as ultimas notícias.

Curta nossa fan page, receba todas as atualizações - Foco Regional

Tempo Real

17:58 Cidades