quinta-feira, 12 dezembro 2019
Fale Conosco | (24)3343-5229

Cultura

Instituto abre sessões do Cinestesia às Margens

22/08/2019 08:25:06

O Instituto Dagaz, de Volta Redonda, foi selecionado como ponto de exibição do Circuito Difusão da 12ª Mostra Cinema e Direitos Humanos e acaba de anunciar, Cavi Borges, como novo parceiro do Cine Clube Dagaz  o Projeto Cinestesia às Margens.

Cavi é cineasta, produtor e fundador da locadora Cavídeo, um dos principais produtores do cinema independente brasileiro. Ao longo desses anos, ele vem dando oportunidades a novos cineastas, buscando valorizar projetos de baixo orçamento. Ele realizou diversos curtas, médias e longas metragens documentais e de ficção com grupos culturais, como por exemplo, Nós do Morro, CUFA, Cinema Nosso e Cinemaneiro.

Desde então, como resultado dessa viabilização de projetos, Cavi tem vivido em intensa produção e direção cinematográfica.

Em 2013 e 2014 seu filme "Cidade de Deus - 10 anos depois" participou de mais de 60 festivais de cinema nacionais e internacionais ganhando os prêmios de melhor filme pelo júri popular na Mostra Tiradentes, no Festival Curtase, e na Bolívia. Nesses 20 anos dedicados ao cinema já dirigiu 40 curtas e 14 longas. Sua produtora já produziu 90 curtas e 60 longas.

O produtor e cineasta destaca sua felicidade pela parceria firmada e espera inspirar os expectadores que assistir os conteúdos.

- É uma honra para mim poder exibir meus filmes em parceria com o Cinestesia às Margens. Penso o sonho em usar o cinema como instrumento de transformação e educação pelos filmes ter uma pegada político-social, inclusão e direitos humanos, que é um tema muito bem abordado pelo cineclube.

A diretora executiva Marinêz Fernandes destaca a importância de abrir o diálogo para assuntos que muitas vezes não são refletidos pela comunidade.

- Os filmes dão suporte para introduzir questões como o preconceito, por exemplo. De repente, quem nunca quis falar sobre o assunto consegue se expressar, a partir da exibição e do diálogo posterior. Analisar a obra é importante também para auxiliar a interpretação e abre espaço para discutir visões sob ângulos diferentes. Instigar a criticidade é outra vertente necessária, que temos também como meta, para que a cidadania seja exercida por todos. Muito se aprende por meio da cultura - observa.

Aproximação com cultura

O principal foco do Cinestesia às Margens é diminuir a distância entre a população periférica e a cultura. Com a democratização do acesso às artes e informação, toda comunidade se sente pertencente, sobretudo pela busca do Instituto Dagaz por exibir títulos cujos temas conversem com as realidades dos expectadores. As exibições podem ser feitas tanto em residências quanto em locais públicos, como praças, associações de moradores, escolas e universidades.

De outubro de 2018 a abril de 2019 o projeto foi completado com o Edital de Seleção Nacional de Projetos Culturais de uma empresa por meio da Lei de Incentivo a Cultura da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa, do governo do estado do Rio. O projeto realizou 48 sessões em 10 municípios com o impacto de aproximadamente seis mil expectadores.

O Instituto Dagaz segue com agenda aberta para sessões do Cinestesia às Margens e o contato deve ser feito pelo telefone (24) 3027-0458, de segunda a sexta-feira, das 9 às 19h. Outras informações também podem ser obtidas pelo e-mai: institutodagaz@hotmail.com. (Foto: Divulgação)

Comentários via Facebook

(O Foco Regional não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

+ Lidas

Em foco

Notícias primeiro na sua mão

Primeiro cadastre seu celular ou email para receber as ultimas notícias.

Curta nossa fan page, receba todas as atualizações - Foco Regional

Tempo Real

05:42 Polícia