quinta-feira, 06 agosto 2020
Fale Conosco | (24)3343-5229

Cidades

Critério adotado em Volta Redonda é estabelecido para reabertura do comércio de Barra Mansa

29/05/2020 13:19:53

O restabelecimento do acordo que permitiu a reabertura do comércio de Barra Mansa nesta sexta-feira, a partir das 14 horas,  teve acrescido um novo critério: o número de notificações (casos suspeitos) não poderá passar de 5% por dois dias consecutivos. Se isso ocorrer, as atividades terão que ser novamente suspensas. O critério é o mesmo que foi sugerido pelo prefeito Samuca Silva, de Volta Redonda, ao Ministério Público estadual (MPRJ), permitindo a flexibilização das atividades econômicas na cidade do aço.

A audiência de conciliação convocada pela juíza da 1ª Vara Cível de Barra Mansa, Anna Carolinne Licasalio da Costa, foi realizada pela manhã e teve a participação de representantes do MPRJ, da prefeitura – através do procurador Geral do Município, César Catapreta Espindola Junior – e do Sicomércio (Sindicato do Comércio Varejista), Hugo Tavares; da CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas), Leonardo dos Santos, e Aciap (Associação Comercial, Industrial, Agropastoril), Bruno Maciello Sobrinho. No encontro, também foi determinado à prefeitura o restabelecimento das barreiras sanitárias nos acessos à cidade, com aumento do número de pontos de bloqueio da entrada de pessoas de outras cidades.

O prefeito Rodrigo Drable anunciou, no início da tarde, em pronunciamento em uma rede social, que a medida já estava sendo adotada. Assim, pessoas que moram ou trabalham  em Barra Mansa, mas têm veículos emplacados em outras cidades, têm de comprovar residência ou emprego em Barra Mansa para que seu acesso seja permitido.

Em pronunciamento numa rede social no início da tarde, ao lado do deputado estadual Marcelo Cabeleireiro, e dos presidentes da CDL e da Aciap, Drable disse que a prefeitura tentou incluir no acordo a liberação da feira-livre, das igrejas e das academias, o que não foi aceito. “O Ministério Público e o juízo entenderam que ainda não é hora de retornar [estes segmentos]”, disse ele.

Segundo o prefeito, na próxima segunda-feira, o município vai apresentar ao MPRJ um protocolo para tentar liberar estas atividades, com um plano de fiscalização para que as medidas de contenção à propagação da Covid-19 sejam adotadas por estes setores.

ENTENDA A QUESTÃO - Fechado em meados de março devido à pandemia, o comércio de Barra Mansa foi reaberto no dia 29 de abril, por determinação de Rodrigo Drbale após um acordo com o MPRJ. No entanto, menos de duas semanas depois os promotores pediram à juíza a suspensão do acordo, com o consequente fechamento do comércio de novo, em razão da publicação, pelo governo do estado, de uma deliberação requisitando a regulação dos leitos destinados a pacientes de Covid-19 criados e geridos pelas prefeituras. No entendimento dos procuradores, a iniciativa colocaria em risco a capacidade de atendimento dos municípios. 

O argumento foi aceito pela magistrada, que determinou à prefeitura o retorno às medidas de isolamento social em vigor antes do acordo. A decisão deixou Drable inconformado a ponto de atacar a decisão judicial e até a juíza. A decisão só foi cumprida uma semana depois, quando Anna Corolinne fixou multa diária de R$ 10 mil ao prefeito - e não ao município, como requisitou o MPRJ. Esta semana, todavia, a própria juíza convocou a audiência de conciliação.

Comentários via Facebook

(O Foco Regional não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

+ Lidas

Em foco

Notícias primeiro na sua mão

Primeiro cadastre seu celular ou email para receber as ultimas notícias.

Curta nossa fan page, receba todas as atualizações - Foco Regional

Tempo Real

09:45 Internacional