sexta-feira, 18 outubro 2019
Fale Conosco | (24)3343-5229

Nacional

Bolsonaro, critica reação da PF a possíveis mudanças: 'Isso é babaquice'

Presidente deu entrevista a jornal de SP

04/09/2019 10:30:03

O presidente Jair Bolsonaro continua defendendo mudanças no comando da Polícia Federal. Em entrevista à Folha de S.Paulo, ele afirmou que a cúpula da PF precisa ser renovada, “dar uma arejada”. Também classificou de "babaquice" a reação de integrantes da corporação às declarações sobre trocas nas superintendências e na diretoria-geral, afirmando que já conversou com o ministro da Justiça, Sergio Moro, sobre uma possível mudança. "(Moro) pode trocar quando quiser o diretor-geral, Maurício Valeixo, mais difícil é trocar de esposa".

Sobre a insatisfação dele com o comando da Polícia Federal, o presidente não falou sobre prazos para mudanças. E não negou sua preferência para colocar no posto o atual secretário de Segurança do Distrito Federal, Anderson Torres.

Bolsonaro disse que o imbróglio com a direção da PF teve início quando quiseram trocar superintendências sem lhe comunicar e negou que sua tentativa de interferir nessas indicações tenha relação com as investigações que envolvem seu filho, o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ). "Já investigaram a vida da minha família inteira e não acharam nada".

Além de falar na troca do comando da PF, Bolsonaro disse que deve anunciar até esta quinta-feira quem vai comandar a Procuradoria-Geral da República (PGR). Segundo ele, o escolhido sairá "do bolo" de candidatos que o visitaram na última semana e terá de ser alinhado com ele.

O presidente descartou indicar o subprocurador da República Alcides Martins, vice-presidente do Conselho Superior do Ministério Público Federal, que poderia assumir interinamente, após o dia 17 deste mês, quando termina o mandato da atual chefe da PGR, Raquel Dodge.

Na mesma entrevista, Bolsonaro disse que o ministro da Economia, Paulo Guedes, era "xucro politicamente" e que já o avisou que a recriação da CPMF deve ser condicionada a uma compensação para a população. "Se não, ele vai tomar porrada até de mim".

Além de chamar Guedes de "xucro", Bolsonaro disse que o titular da Justiça era "ingênuo" quando chegou à Esplanada dos Ministérios e não tinha a "malícia da política". Disse ainda que o nome de Moro não passaria hoje no Senado em uma eventual indicação para uma vaga no Supremo Tribunal Federal (STF). Sobre a possibilidade do ministro disputar a presidência em 2022, frisou: "Já falamos, eu disse para ele que essa cadeira de super-homem é feita de kriptonita. Se quiser sentar, senta."

Bolsonaro voltou a ironizar o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), outrora seu aliado, mas agora rival na corrida presencial de 2022. Disse ele que o tucano não tem chances de ser o próximo presidente porque é uma "ejaculação precoce". (Foto: Agência Brasil)

Comentários via Facebook

(O Foco Regional não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

+ Lidas

Em foco

Notícias primeiro na sua mão

Primeiro cadastre seu celular ou email para receber as ultimas notícias.

Curta nossa fan page, receba todas as atualizações - Foco Regional

Tempo Real

08:05 Polícia