segunda-feira, 01 junho 2020
Fale Conosco | (24)3343-5229

Saúde

RJ tem mais de 5 mil casos de suspeita de dengue em 2011

29/09/2011 17:08:44

Do dia 2 de janeiro a 12 de fevereiro de 2011 foram notificados 5.757 casos suspeitos de dengue no estado do Rio. A informação foi confirmada pela Secretaria estadual de Saúde nesta terça-feira (22). Há registros de dois óbitos confirmados, um no município de Nova Iguaçu e um em Magé, na Baixada Fluminense.

Em janeiro, foram registrados 3.826 casos, e outros 1.931 nas primeiras semanas de fevereiro. A Secretaria estadual de Saúde confirmou nesta terça que vai lançar um sistema online de informação para o controle de focos do mosquito da dengue em todos os municípios do estado do Rio. A partir do fim de março, a população e autoridades públicas de saúde poderão ter acesso a informações como o número de agentes de saúde e de visitas a domicílios pela internet.

Para que o sistema funcione, a Secretaria está realizando treinamento dos responsáveis pelo conteúdo do novo banco de dados. Estão sendo realizadas oficinas nos municípios de Nova Iguaçu, Magé, Mesquita, Queimados e Japeri. Até o fim da semana, mais vinte cidades receberão treinamento. A meta é visitar 80% do número total de domicílios de uma cidade.

No último dia 8, a menina Laís Melo Miranda Soares morreu no dia em que completaria 10 anos. Ela foi vítima da dengue hemorrágica. De acordo com relato de parentes, Laís foi internada no dia 26 de dezembro, num hospital particular em Niterói, na Região Metropolitana do Rio. Como ela adoeceu no fim do ano passado, a Secretaria estadual de Saúde decidiu incluir o caso nas estatísticas de 2010.

O superintendente Alexandre Chieppe explica que o fumacê é uma ação específica e especializada que tem de obedecer a critérios técnicos e não é a salvação para a dengue.

“O que salva o paciente de dengue é o diagnóstico precoce, o tratamento adequado e o combate ao foco do mosquito na sua residência”, destacou Chieppe, lembrando que existem 8 mil agentes de combate à dengue no estado, além de 3 mil bombeiros que visitam as residências justamente para promover ações educativas.

A Secretaria estadual de Saúde ensina algumas práticas para evitar a criação de focos do mosquito aedes aegypti. É indicado colocar areia no prato dos vasos de plantas, manter caixas d´água, cisternas e outros depósitos de água sempre bem fechados e com tampas adequadas. Pneus velhos devem ser furados e guardados com cobertura ou recolhidos pela limpeza pública. Garrafas pet e outros recipientes vazios também devem ser entregues à limpeza pública. Vasos e baldes vazios devem ser colocados de boca para baixo.

 

 

 

Comentários via Facebook

(O Foco Regional não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

+ Lidas

Em foco

Notícias primeiro na sua mão

Primeiro cadastre seu celular ou email para receber as ultimas notícias.

Curta nossa fan page, receba todas as atualizações - Foco Regional

Tempo Real

18:42 Saúde